Entenda o que é e quais as consequências do diabetes

Tempo de leitura: 3 minutos

O diabetes é uma doença crônica causada pela falta ou produção insuficiente da insulina, hormônio produzido pelo pâncreas e responsável pelo transporte da glicose no organismo, cuja função é proporcionar energia ao corpo. De acordo com dados da Sociedade Brasileira de Diabetes, atualmente existem, somente no Brasil, 13 milhões de pessoas diabéticas, número que equivale a 6,9% da população brasileira. Grande parte das pessoas diabéticas não sabem que tem a doença, pois os sintomas, às vezes, só aparecem em estado avançado. A doença pode provocar complicações renais, hiperglicemia (aumento da glicose), hipoglicemia (nível baixo de glicose), problemas, cardiovasculares, entre outros. Continue lendo este texto e saiba mais sobre as complicações do diabetes.

 

Tipos de diabetes

Tipo 1 = É caracterizado pela falta de produção de insulina no corpo resultante de ataques no sistema de defesa do organismo. Ocorre, na maioria das vezes, na infância e na adolescência.

Tipo 2 = Produção insuficiente de insulina pelo pâncreas, ocasionando o excesso de glicose no organismo. Pode ter influência genética e ocorre com mais frequência em adultos.

Diabetes gestacional = Como o nome indica, a diabetes gestacional ocorre na gravidez, podendo trazer complicações para a gestante e para o bebê. Histórico familiar, idade avançada da gestante e excesso de peso são alguns dos fatores de risco para o seu surgimento.

Além desses tipos, também há o paciente que pode ser identificado como pré-diabético, ou seja, a pessoa que possui predisposição para a doença, devido aos altos níveis de glicose no sangue e outros fatores de risco.

 

Sintomas

Grande parte das pessoas diabéticas não sabem que tem a doença, pois ela é assintomática. No entanto, alguns sintomas se manifestam no estágio avançado da doença, como emagrecimento, dores nas pernas, visão embaçada, fraqueza, sede, cansaço e urina em excesso.

 

Fatores de risco para o surgimento de diabetes

  • Sedentarismo;
  • Alimentação inadequada;
  • Excesso de peso;
  • Tabagismo;
  • Histórico na família.

 

Diagnóstico

A diabetes pode ser diagnosticada por meio da realização de exames de sangue e teste de curva glicêmica, por exemplo. Mesmo após o diagnóstico será necessário medir o nível de glicose no sangue para saber as taxas de açúcar presentes no sangue, se estão baixas, normais ou altas. A medição, que deve ocorrer mais de uma vez ao dia, acontece com aparelhos próprios e recomendados como o monitor de glicemia ou as bombas de insulina. É importante anotar os resultados para ter um maior controle das taxas glicêmicas.

 

Consequências do diabetes

O diabetes, quando não controlado, pode trazer consequências negativas para a visão, rins, coração, nervos e membros inferiores, além de provocar desidratação e complicações respiratórias. Para evitar as consequências do diabetes, mude o seu estilo de vida, perdendo peso, praticando exercícios físicos e indo ao médico com frequência.

 

Tratamento

A doença não tem cura, mas pode ser controlada. É imprescindível manter o controle da glicose no sangue, seguir a medicação oral indicada pelo médico ou a aplicação de insulina. O tratamento pode variar ao longo da vida, por isso é importante manter uma frequência de ida ao médico para averiguar a necessidade de mudança.

 

Adote bons hábitos de vida

Se você é uma pessoa diabética, é preciso modificar a sua alimentação, praticar exercícios físicos, acompanhar os índices de glicemia, evitar o consumo de bebidas alcoólicas e bebidas açucaradas.

A alimentação precisa ser diversificada, com alimentos ricos em fibras, pouca gordura, redução da quantidade de doces, opção por carnes magras, grãos, leguminosas e carboidratos com índice glicêmico baixo, frutas, cereais integrais, verduras, peixes, leite e derivados com taxa baixa de gordura e beber água, sempre controlando as quantidades ingeridas de sal e açúcar.

 

Cuide bem da sua saúde e viva melhor!