Descubra como combater a malária

Tempo de leitura: 3 minutos

A malária é uma doença infecciosa transmitida pela fêmea infectada de mosquitos do gênero Anopheles, o agente etiológico da doença é um parasito do gênero Plasmodium, a malária humana é causada por Plamosdium falciparum, P. malariae, P. ovale, P. knowlesi ou P. vivax. Os casos de malária no Brasil são provocados por P. falciparum, P. malariae e P. vivax.

No Brasil, o maior risco para a contaminação da malária é na Amazônia Legal que inclui os estados do Amazonas, Acre, Roraima, Pará, Mato Grosso, Tocantins, Rondônia e parte do Maranhão, essa região concentra 99% dos casos de malária ocorridos no Brasil.

Saiba mais sobre os sintomas da doença é como combater a malária.

 

Sintomas

Após a picada do mosquito, os parasitos são multiplicados nas células do fígado e, posteriormente, atingem a circulação sanguínea. Os sintomas surgem após o período de incubação, que pode durar de 8 a 30 dias ou até meses.

Os sintomas da malária incluem febre, sudorese, náuseas, falta de apetite, calafrios, cansaço, vômitos, cefaleia, tremores e tontura. O diagnóstico é feito por meio da descoberta de parasitos no sangue.

 

Um pouco mais sobre a doença

A malária não é uma doença contagiosa, ou seja, não é transmitida entre pessoas, e sim por meio da picada da fêmea do mosquito Anopheles, infectada pelo Plasmodium, contudo, de acordo com o Ministério da Saúde, a doença pode ser transmitida por meio do contato com o sangue de pessoas infectadas, em transfusões sanguíneas, transplante de órgãos ou compartilhamento de seringas.

Ainda, segundo o Ministério da Saúde, a malária pode ser considerada grave caso seja detectado a presença de um ou mais sintomas como convulsões, prostração, alteração da consciência, hemorragia, icterícia, edema pulmonar ao raio x do tórax, hemoglobinúria, hiperpirexia (febre) (>41º), oligúria, hipotensão arterial ou choque.

Apesar de ser uma doença que não possui vacina para o tratamento, a malária tem cura, desde que seja identificada em tempo adequado, caso contrário, oferece riscos como insuficiência renal, anemia grave, coma e até mesmo a morte. Cabe ressaltar que o tratamento da malária é feito por meio de medicamentos antimaláricos oferecidos gratuitamente pelo governo no Sistema Único de Saúde (SUS)

Pessoas que têm o costume de viajar para outros lugares do Brasil devem ficar atentas aos riscos de malária proporcionados pelo lugar de destino, devem saber, principalmente, se o lugar de destino é endêmico, ou seja, se oferece riscos confirmados para a contaminação. Os viajantes que, após uma viagem a um local risco, devem procurar imediatamente um médico caso sintam febre.

Atenção: os mosquitos transmissores da malária são mais ativos nos períodos do amanhecer e entardecer.

 

Medidas de prevenção

As medidas de prevenção são importantes para evitar o surgimento de grandes casos da doença, a atuação de profissionais da saúde, os agentes de saúde e os agentes de controle de endemias é imprescindível na conscientização da população sobre os riscos da malária.

Para combater a malária, é necessário seguir algumas medidas. Confira:

  • Usar mosquiteiros ou cortinados impregnados de inseticida;
  • Usar roupas longas e de cores claras;
  • Utilizar ventiladores em ambientes fechados;
  • Usar repelente, a orientação médica é necessária para o uso de repelente em crianças menores de dois anos;
  • Saneamento;
  • Não ingerir medicamentos por conta própria
  • Limpeza de locais que favoreçam o surgimento de mosquitos;
  • Evitar locais que são criadouros de mosquitos, tais como beira de rio e área inundadas;
  • Usar telas em portas e janelas.

Por mais que os sintomas não ocorram mais, as pessoas que foram identificadas com malária devem realizar o tratamento completo.

Esperamos que este texto tenha mostrado a você a necessidade de uma mobilização conjunta para o combate à malária, doença que tem cura, mas que oferece muitos perigos à pessoa infectada. Você tem alguma dúvida sobre a malária? Deixe seu comentário abaixo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *